Skip to content

Most visited

Recently visited

navigation

Crie e edite configurações de execução/depuração

Quando você executa, depura ou testa código, o Android Studio usa uma configuração de execução/depuração para determinar como executar a operação. Normalmente, a configuração padrão é suficiente e você pode simplesmente executar ou depurar o aplicativo. No entanto, é possível modificar e criar novas configurações, bem como modificar os modelos padrão, de acordo com o processo de desenvolvimento.

Sobre configurações de execução/depuração

As configurações de execução/depuração especificam detalhes como opções de instalação, início e teste de um aplicativo. Você pode definir uma configuração para usar uma única vez ou salvá-la para uso futuro. Depois de salvá-la, você poderá selecionar a configuração na lista suspensa Select Run/Debug Configuration na barra de ferramentas. O Android Studio salva as configurações como parte do projeto.

Configuração padrão de execução/depuração

Na criação de um projeto, o Android Studio cria uma configuração padrão de execução/depuração para a atividade principal com base no modelo Android App. Para executar ou depurar o projeto, é sempre necessário ter pelo menos uma configuração de execução/depuração definida. Por esse motivo, recomendamos que você não exclua essa configuração.

Escopo do projeto e controle de versões

As configurações de execução/depuração e as mudanças de modelos se aplicam apenas ao projeto atual. Se você optar por compartilhar uma configuração de execução/depuração e fizer check-in do projeto em um sistema de controle de versões, a configuração será compartilhada com todas as pessoas que fizerem check-out do projeto. Não é possível compartilhar modelos.

Abrir a caixa de diálogo Run/Debug Configurations

A caixa de diálogo Run/Debug Configurations exibe as configurações de execução/depuração e os modelos padrão disponíveis. Nessa caixa de diálogo, você pode:

Para abrir a caixa de diálogo, execute uma das seguintes ações:

A caixa de diálogo Run/Debug Configurations será exibida, como mostrado na figura 1.

Figura 1. A caixa de diálogo Run/Debug Configurations.

No painel esquerdo, a caixa de diálogo exibe modelos padrão na pasta Defaults. Ela agrupa as configurações definidas por tipo de modelo. Você pode redimensionar a caixa de diálogo para ver itens ocultos.

Criar uma nova configuração de execução/depuração

Você pode definir novas configurações de execução/depuração na caixa de diálogo Run/Debug Configurations, na janela Project ou no editor de código. A nova configuração deve ser baseada em um modelo padrão.

Na caixa de diálogo Run/Debug Configurations, você pode iniciar uma nova configuração diretamente de um modelo ou de uma cópia de outra configuração. Em seguida, você pode alterar os valores dos campos conforme necessário.

Como alternativa, clique com o botão direito do mouse em um item na janela Project para criar automaticamente uma configuração específica desse item. Por exemplo, se você quiser executar uma atividade específica, clique com o botão direito do mouse no arquivo Java da atividade e selecione Run. Dependendo do item, o Android Studio usa o modelo padrão Android App, Android Tests ou JUnit para criar a configuração.

No editor de código, você pode criar facilmente uma configuração de execução/depuração e teste para uma classe ou método e executá-la.

Quando uma configuração é criada fora da caixa de diálogo Run/Debug Configurations, ela será temporária, a menos que você a salve. Por padrão, você pode ter até cinco configurações temporárias no projeto antes que o Android Studio comece a removê-las. Para alterar esse padrão, na caixa de diálogo Run/Debug Configurations, clique na pasta Defaults e digite um valor no campo Temporary Configurations Limit. Para obter mais informações sobre configurações temporárias, consulte Criar e salvar configurações de execução/depuração temporárias.

Você pode compartilhar uma configuração de execução/depuração (mas não um modelo) por meio do sistema de controle de versões. Se você selecionar Shared na configuração de execução/depuração e fizer check-in do projeto em um sistema de controle de versões, todas as pessoas que fizerem check-out do projeto receberão a configuração.

Iniciar uma configuração com base em um modelo

Para definir uma configuração de execução/depuração com base em um modelo, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Clique em Add New Configuration .
  3. Selecione um modelo padrão.
  4. Digite um nome no campo Name.
  5. Modifique a configuração conforme a necessidade.
  6. Não deixe de corrigir todos os erros exibidos na parte inferior da caixa de diálogo.

  7. Clique em Apply ou OK.

Iniciar uma configuração de uma cópia

Para definir uma configuração de execução/depuração com base em uma cópia de outra configuração, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Selecione uma configuração de execução/depuração existente no painel esquerdo.
  3. Clique em Copy Configuration .
  4. Digite um nome no campo Name.
  5. Modifique a configuração conforme a necessidade.
  6. Não deixe de corrigir todos os erros exibidos na parte inferior da caixa de diálogo.

  7. Clique em Apply ou OK.

Definir uma configuração para um item do projeto

O Android Studio pode criar automaticamente uma configuração de execução/depuração para alguns itens exibidos na janela Project. A configuração é baseada em um modelo padrão:

Observação: para um arquivo build.gradle ou settings.gradle, o Android Studio usa o modelo Groovy. Em vez disso, você deve usar o console do Gradle para executar ou depurar um arquivo build.gradle.

Para criar uma configuração de execução/depuração para um item do projeto, siga estas etapas:

  1. Abra um projeto na visualização Android ou Project.
  2. Na janela Project, clique com o botão direito do mouse em um item e escolha Run ou Debug.
  3. O Android Studio cria uma configuração de execução/depuração temporária e inicia o aplicativo.

  4. Para salvar a configuração, selecione Save na lista suspensa Select Run/Debug Configuration na barra de ferramentas.
  5. A lista suspensa fica à esquerda de Run e Debug ; por exemplo: .

    Como alternativa, clique com o botão direito do mouse no item novamente e selecione Save.

    Ou selecione a configuração na caixa de diálogo Run/Debug Configurations e clique em Save Configuration no canto superior esquerdo.

    Exceto no caso de atividades, se você clicar com o botão direito e executar ou depurar o mesmo item novamente, o Android Studio criará uma nova configuração.

Definir uma configuração de teste para uma classe ou método

O Android Studio permitir definir uma configuração de execução de teste para uma classe ou método e executá-la. Por exemplo, se você criar uma nova classe, poderá criar um teste para ela e executá-lo. Se o teste for bem-sucedido, você poderá executar os testes do resto do projeto para garantir que o novo código não causará falhas em outro local.

O Android Studio usa o modelo Android Tests ou JUnit dependendo do conjunto de origem. Opcionalmente, você pode executar um teste de unidade local com cobertura de código.

Para criar uma configuração de execução/depuração para uma classe ou método no código Java, siga estas etapas:

  1. Abra um projeto na visualização Android ou Project.
  2. Abra um arquivo Java no editor de código.
  3. Selecione uma classe ou método no código e pressione Ctrl+Shift+T (⌘⇧T).
  4. Selecione Create New Test no menu exibido.
  5. Na caixa de diálogo Create Test, altere opcionalmente os valores do campo e clique em OK.
  6. Na caixa de diálogo Choose Destination Directory, selecione androidTest para criar um teste instrumentado ou test para criar um teste de unidade local. Clique em OK.
  7. O novo teste é exibido na janela Project no conjunto de origem de teste correspondente.

  8. Para executar o teste, execute uma das seguintes ações:
    • Na janela Project, clique com o botão direito do mouse no teste e selecione Run ou Debug.
    • No editor de código, clique com o botão direito em uma definição de classe no arquivo de teste e selecione Run ou Debug para testar todos os métodos da classe.
    • No editor de código, clique com o botão direito do mouse em um nome de método no arquivo de teste e selecione Run ou Debug para testar apenas esse método.
    • No editor de código, clique em Play na margem esquerda ao lado de uma classe ou método e selecione Run ou Debug.
  9. Para salvar a configuração, selecione Save na lista suspensa Select Run/Debug Configuration na barra de ferramentas.
  10. A lista suspensa fica à esquerda de Run e Debug ; por exemplo: .

    Como alternativa, clique com o botão direito do mouse no item novamente e selecione Save.

    Ou selecione a configuração na caixa de diálogo Run/Debug Configurations e clique em Save Configuration no canto superior esquerdo.

Executar ou depurar um aplicativo usando uma configuração salva

Se você salvou uma configuração de execução/depuração, poderá selecioná-la antes de executar ou depurar um aplicativo.

Para usar uma configuração de execução/depuração salva, siga estas etapas:

  1. Selecione a configuração de execução/depuração na lista suspensa Select Run/Debug Configuration na barra de ferramentas.
  2. A lista suspensa fica à esquerda de Run e Debug ; por exemplo: .

  3. Selecione Run > Run ou Run > Debug.
  4. Como alternativa, clique em Run ou Debug .

Observação: durante uma sessão do Instant Run, se você selecionar uma configuração de execução/depuração diferente e clicar em Run ou Debug novamente, a sessão atual será encerrada.

Editar uma configuração de execução/depuração

Para editar uma configuração de execução/depuração, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Selecione uma configuração no painel esquerdo.
  3. Modifique a configuração conforme a necessidade.
  4. Não deixe de corrigir todos os erros exibidos na parte inferior da caixa de diálogo.

  5. Clique em Apply ou OK.

Editar um modelo padrão de configuração de execução/depuração

Você pode editar os modelos padrão fornecidos pelo Android Studio para adaptá-los ao seu processo de desenvolvimento. Se você editar um modelo, as configurações já existentes que usarem o modelo não serão afetadas. Portanto, se você precisar criar diversas configurações de um determinado tipo, edite o modelo e, depois de criar as configurações, volte para a versão original do modelo.

Embora não seja possível criar novos modelos, você pode criar configurações para uso de forma similar a um modelo. Você pode copiar uma configuração e editar a cópia para criar novas configurações.

Para editar um modelo, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Expanda a pasta Defaults e selecione um modelo padrão.
  3. Modifique a configuração conforme a necessidade.
  4. Não deixe de corrigir todos os erros exibidos na parte inferior da caixa de diálogo.

  5. Clique em Apply ou OK.

Classificar e agrupar configurações

Na caixa de diálogo Run/Debug Configurations, você pode organizar as configurações para poder encontrá-las rapidamente. É possível ordenar alfabeticamente os itens na pasta e criar novas pastas para agrupar configurações.

Para ordenar alfabeticamente as configurações, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Selecione uma pasta que contém configurações.
  3. Clique em Sort Configurations .
  4. Clique em Apply ou OK.

Para agrupar as configurações em pastas, siga estas etapas:

  1. Abra a caixa de diálogo Run/Debug Configurations.
  2. Selecione uma pasta que contém configurações.
  3. Clique em Create New Folder .
  4. Digite um nome no campo Name.
  5. Arraste itens da mesma categoria de modelo para a pasta.
  6. Ordene as pastas e configurações na mesma categoria de modelo arrastando-as para a posição desejada ou usando Move Up e Move Down .
  7. Clique em Apply ou OK.

Definir operações para execução antes do início

Você pode especificar tarefas a serem executadas antes de aplicar a configuração de execução/depuração. As tarefas serão executadas na ordem em que aparecem na lista. A definição de operações para execução antes do início é um recurso avançado.

Em vez de usar esse recurso, recomendamos que você coloque toda a lógica de preparação como tarefas no arquivo build.gradle para execução quando a compilação for acionada na linha de comando.

Para criar uma lista de tarefas, siga estas etapas:

  1. Para adicionar uma tarefa à lista, clique em Add e selecione um tipo de tarefa. Se uma caixa de diálogo for exibida, preencha os campos e clique em OK.
  2. Adicione mais tarefas conforme a necessidade.
  3. Para ordenar as tarefas, selecione uma tarefa e clique em Up e Down para movê-la para cima ou para baixo na lista.
  4. Selecione Show this page se você quiser exibir as definições de configuração de execução/depuração antes de aplicá-las.

    Por padrão, essa opção não é selecionada.

  5. Selecione Active tool window se quiser que a janela de ferramentas Run ou Debug seja ativada automaticamente ao executar ou depurar o aplicativo.
  6. Por padrão, essa opção é selecionada.

Para remover uma tarefa da lista, siga estas etapas:

  1. Selecione uma tarefa.
  2. Clique em Remove .

Para editar uma tarefa, siga estas etapas:

  1. Selecione uma tarefa.
  2. Clique em Edit .
  3. Edite as configurações da tarefa na caixa de diálogo exibida e clique em OK.

A tabela a seguir lista as tarefas disponíveis para adição.

Tarefa Descrição
Run External tool Executar um aplicativo externo ao Android Studio. Na caixa de diálogo External Tools, selecione um ou mais aplicativos que você quer executar e clique em OK. Se o aplicativo ainda não estiver definido no Android Studio, adicione sua definição na caixa de diálogo Create Tools. Para obter mais informações, consulte Configurar ferramentas de terceiros e Ferramentas externas.
Run Another Configuration Executar uma das configurações de execução/depuração existentes. Na caixa de diálogo Choose Configuration to Execute, selecione uma configuração a ser executada e clique em OK.
Marca Compilar o projeto ou módulo. O Android Studio executará o comando Make Module se a configuração de execução/depuração especificar um determinado módulo. Se nenhum módulo for especificado, será executado o comando Make Project.
Make Project Compilar o projeto. O Android Studio executa o comando Make Project.
Make, no error check Opção semelhante a Make, exceto que o Android Studio executa a configuração de execução/depuração qualquer que seja o resultado da compilação.
Build Artifacts Não permitida pelo Android Studio.
Run Gradle task Executar uma tarefa do Gradle. Na caixa de diálogo exibida, especifique os detalhes e clique em OK. Para obter mais informações, consulte Gradle.
Gradle-aware Make Compilar o projeto e execute o Gradle.
App Engine Gradle builder A tarefa App Engine Gradle builder sincroniza o projeto e compila o módulo.

Modelos padrão de configuração de execução/depuração

O Android Studio oferece modelos de configuração padrão para ajudá-lo a começar a usar rapidamente. Os seguintes modelos se aplicam ao desenvolvimento em Android com o Android Studio:

Observação: o Android Studio 2.1.x ou anterior tinha um modelo Native Application. As versões mais recentes não têm esse modelo. Se você tiver um modelo Native Application em um projeto, o Android Studio o converterá automaticamente para Android App no carregamento do projeto. Uma caixa de diálogo Convert Project orientará você ao longo do processo.

Os seguintes modelos não compatíveis são do IntelliJ IDEA e não são específicos para o desenvolvimento em Android com o Android Studio:

Siga os links para a documentação do IntelliJ IDEA para obter detalhes sobre o uso desses modelos.

Aplicativo Android

Você pode executar ou depurar aplicativos e atividades do Android em dispositivos virtuais e de hardware usando configurações com base nesse modelo.

Name e share

Uma configuração de execução/depuração tem as opções Name e Share, mas o modelo não.

Campo Descrição
Nome O nome da configuração de execução/depuração.
Compartilhar

Selecione essa opção para disponibilizar a configuração de execução/depuração para outros membros da equipe por meio do controle de versões. Você pode compartilhar uma configuração de execução/depuração, mas não um modelo. Se você selecionar essa opção, quando for efetuado check-in do projeto no Git (ou em outro sistema de controle de versões), a configuração de execução/depuração será incluída no check-out do projeto.

O Android Studio armazena a configuração de execução/depuração compartilhada em um arquivo XML individual na pasta .idea/runConfigurations. Caso contrário, a configuração é armazenada no arquivo .idea/workspace.xml. Para obter mais informações, consulte Formato de projeto com base em diretório.

Padrão: não selecionado

Guia General

Na guia General, você pode especificar opções de instalação, início e implantação. A guia Miscellaneous também contém opções de instalação.

Campo Descrição
Module Selecione um módulo para aplicação desta configuração.
Installation Options: Deploy

Selecione uma opção:

  • Default APK (padrão) - criar um APK como especificado na configuração de compilação.
  • Custom Artifact - não permitida no Android Studio.
  • Nothing - não instalar um APK em um dispositivo. Por exemplo, se você preferir instalar manualmente o APK, não será preciso que o Android Studio o instale.
Installation Options: Install Flags Digite as opções pm install do adb que quiser usar. Formate as opções da mesma forma que na linha de comando, mas sem um caminho. Veja alguns exemplos:

-i foo.bar.baz -r /path/to/apk

e

-d -r

Padrão: sem opções

Launch Options: Launch

Selecione uma opção:

  • Nothing - não iniciar nada. Se especificou Nothing no campo Deploy, o aplicativo já estiver em execução e você selecionar Debug, essa opção será semelhante ao uso de Attach debugger to Android process. A seleção de Run não gera nenhum efeito.
  • Default Activity (padrão) - iniciar a atividade marcada como inicial no manifesto. Por exemplo:
  • <intent-filter>
      <action android:name="android.intent.action.MAIN" />
      <category android:name="android.intent.category.LAUNCHER" />
    </intent-filter>
    
  • Specified Activity - iniciar uma determinada atividade no módulo. Digite o nome ou clique em para selecionar uma atividade da lista.
  • URL - especificar um URL a iniciar. Consulte Testar um URL.
Launch Options: Launch Flags Digite as opções am start do adb que quiser usar. Formate as opções da mesma forma que na linha de comando, mas sem um intent. Por exemplo:

-W

Essa opção não aparecerá se você escolher o valor Nothing para Launch.

Padrão: sem opções

Deployment Target Options: Destino

Selecione uma opção:

  • Open Select Deployment Target Dialog (padrão) - abrir a caixa de diálogo Select Deployment Target para selecionar um dispositivo virtual ou de hardware.
  • USB Device - usar um dispositivo de hardware conectado ao computador de desenvolvimento por meio de uma porta USB. Se houver mais de um, será exibida uma caixa de diálogo para seleção.
  • Emulator - usar um dispositivo virtual. Em uma configuração, você pode selecionar um AVD. Caso contrário, será usado o primeiro AVD da lista.

Deployment Target Options: Use same device for future launches

Se você quiser usar automaticamente no futuro o dispositivo escolhido por meio da caixa de diálogo Select Deployment Target, selecione esta opção. Se o dispositivo não estiver disponível, será exibida uma caixa de diálogo. Padrão: não selecionado
Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Miscellaneous

Na guia Miscellaneous, você pode especificar opções de logcat, instalação, início e implantação. A guia General também contém opções de instalação.

Campo Descrição
Logcat: Show logcat automatically Quando essa opção for selecionada, a guia logcat do Android Monitor será ativada automaticamente todas as vezes em que um aplicativo for implantado e iniciado de forma bem-sucedida usando essa configuração. Caso contrário, o foco não mudará automaticamente para a guia logcat no início do aplicativo. Padrão: selecionada
Logcat: Clear log before launch Selecione essa opção se quiser que o Android Studio remova dados de sessões anteriores do arquivo de registros antes de iniciar o aplicativo. Padrão: não selecionado
Installation Options: Skip installation if APK has not changed Quando selecionada, o Android Studio não implantará novamente o APK se detectar que não foi alterado. Se você quiser que o Android Studio force uma instalação do APK, mesmo se não foi alterado, cancele a seleção dessa opção. Padrão: selecionada
Installation Options: Force stop running application before launching activity

Se selecionada, quando o Android Studio detectar que não é necessário reinstalar um APK não alterado, forçará o fechamento do aplicativo para que ele inicie com a atividade padrão do inicializador. Se essa opção não for selecionada, o Android Studio não forçará o fechamento do aplicativo.

Essa opção trabalha em conjunto com a opção anterior, que controla se um APK é instalado ou não. Nos dois campos Installation Options, deixe os valores padrão a menos que você queira explicitamente forçar uma instalação todas as vezes.

Em alguns casos, pode ser necessário cancelar a seleção dessa opção. Por exemplo, se você criar um mecanismo de método de entrada (IME), o fechamento forçado do aplicativo cancela sua seleção como o teclado atual, o que pode ser indesejável.

Padrão: selecionada

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Debugger

Defina opções de depuração na guia Debugger.

Para C e C++, o Android Studio usa o depurador LLDB. Além da IU convencional do Android Studio, a janela do depurador tem uma guia LLDB que permite inserir comandos do LLDB durante a depuração. Você pode inserir os mesmos comandos que o Android Studio usa para exibir informações na IU do depurador, além de poder realizar outras operações.

Para projetos em C e C++, é possível adicionar diretórios de símbolos e inicialização do LLDB e comandos de pós-vinculação na guia Debugger. Para fazer isso, use botões semelhantes aos seguintes:

Consulte Depure seu aplicativo para saber mais sobre como depurar no Android Studio.

Campo Descrição
Tipo de depuração

Selecione uma das opções a seguir:

  • Auto (padrão) - Permite que o Android Studio escolha o tipo de depuração mais indicado para o seu projeto.
  • Java - Depura somente código Java.
  • Native - Depura código C ou C++ nativo.
  • Hybrid - Depura código Java e nativo em duas sessões de depuração.

A opção Auto é recomendada porque escolhe automaticamente o tipo de depuração certo para o seu projeto.

Experimental: Use o depurador de C++ que lê Java - somente para Android N+

Selecione esta opção para depurar código C++ e Java para Android dentro da mesma sessão de depuração do LLDB. O depurador de C++ que lê Java é uma extensão do modo de depuração Native: além da depuração de C++, ele também oferece suporte a Java.

Para poder usar esse recurso, o projeto deve

  • usar exclusivamente o Android 7.0 (API de nível 24) ou posterior
  • usar Native ou Auto como Debug type

Se você selecionou Auto como Debug type, o Android Studio selecionará essa opção automaticamente se o projeto atender aos requisitos. Observe que, se você tem um projeto que só contém Java e quer usar o LLDB para depurá-lo, é possível selecionar essa opção e a Native.

A partir do Android Studio 2.2, esse recurso é experimental. Para saber mais, acesse Uso do depurador de C++ que lê Java experimental.

Padrão: não selecionado

Diretórios de símbolos

Se quiser adicionar arquivos de símbolos para fornecer ao depurador informações em C ou C++ geradas fora do Android Studio, adicione um ou mais diretórios aqui. Preferencialmente, o Android Studio usa os arquivos desses diretórios em vez dos arquivos gerados pelo plug-in do Android para o Gradle. O depurador busca nos diretórios, de cima para baixo, até achar o que precisa. A busca é recursiva pelos arquivos do diretório. Para otimizar a lista e acelerar o processo, coloque os diretórios mais usados no topo da lista.

Se você especificar um diretório que está em posição alta na árvore, poderá demorar muito para fazer a busca em todos os subdiretórios. Se você adicionar um diretório muito específico, o tempo da busca será menor. Você precisa encontrar o equilíbrio perfeito entre velocidade e encontrar os arquivos necessários à depuração. Por exemplo, se você tem um diretório que contém subdiretórios para diferentes Interfaces binárias Android (ABIs), pode escolher adicionar um diretório para uma ABI específica ou para todas as ABIs. Apesar de poder demorar mais para realizar a busca nos diretórios de nível superior, essa é uma abordagem infalível caso você decida depurar em um dispositivo diferente.

Observe que você não tem que adicionar diretórios que contêm arquivos de símbolo do Gradle porque o depurador já os usa automaticamente.

Comandos de inicialização do LLDB

Adicione os comandos do LLDB que quiser executar antes de o depurador se vincular ao processo. Por exemplo, você pode definir preferências para o ambiente, como demonstrado no comando a seguir:

settings set target.max-memory-read-size 2048

O LLDB executa os comandos de cima para baixo.

Comandos de pós-vinculação

Adicione comandos do LLDB que quer executar logo depois que o depurador se vincular ao processo. Por exemplo:

process handle SIGPIPE -n true -p true -s false

O LLDB executa os comandos de cima para baixo.

Diretório host de trabalho Especifique o diretório de trabalho do LLDB.
Registro: Canais de destino

Especifique opções de registro do LLDB. O Android Studio define as opções padrão com base na experiência da equipe — assim, ele não fica tão lento, mas contém informações necessárias para solucionar problemas. O registro muitas vezes é necessário para relatórios de erro do Android Studio. O padrão é

lldb process:gdb-remote packets

Você pode alterar o padrão para coletar mais informações. Por exemplo, as opções de registro a seguir coletam informações sobre uma platform específica:

lldb process platform:gdb-remote packets

Para ver uma lista completa de comandos de registro, digite o comando log list em uma janela de shell do LLDB no Android Studio.

O Android Studio coloca os registros do dispositivo no seguinte local, onde ApplicationId é o ID exclusivo do aplicativo usado no manifesto do APK compilado e para identificar o seu aplicativo no dispositivo e na loja do Google Play:

/data/data/ApplicationId/lldb/log

Ou, se diversos usuários acessam um dispositivo, ele coloca os registros no seguinte local, onde AndroidUserId é um identificador exclusivo de um usuário no dispositivo:

/data/user/AndroidUserId/ApplicationId/lldb/log

Para saber mais sobre como usar o LLDB para depuração remota, consulte Depuração remota.

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Profiling

Especifique as opções de definição de perfil do Depurador de GPU para o Android Monitor na guia Profiling.

Campo Descrição
Opções de rastreamento do gráfico: capturar comandos da GPU

Se ativa, executar esta configuração de execução/depuração compilará, instalará e executará o aplicativo com rastreamento de GPU. O rastreamento não é possível durante a depuração do aplicativo. Se você depurar um aplicativo com rastreamento de GPU, receberá uma mensagem e o depurador inicializará sem rastrear. Essa opção é voltada para a ferramenta Depurador de GPU

Observe que, depois de marcar essa caixa de seleção, sempre que inicializar o aplicativo, ele ficará bloqueado e esperará você vincular o depurador ou o Depurador de GPU.

Opções de rastreamento do gráfico: desativar programas e sombreadores pré-compilados

Selecione esta opção para desativar o suporte ao driver gráfico do OpenGL ES a binários de programa e sombreador pré-compilados durante o rastreamento. Essa opção é voltada para a ferramenta Depurador de GPU

Sombreadores pré-compilados não são compatíveis com reprodução dos rastreios, por isso, somente os sombreadores compilados em tempo de execução por meio do uso da função glShaderSource podem ser usados para inspeção de buffer de quadros.

Os aplicativos sempre devem verificar se há suporte a sombreador pré-compilado antes de usar as funções glShaderBinary ou glProgramBinary e retornar à compilação de tempo de execução se não houver suporte aos sombreadores ou aos programas pré-compilados.

Padrão: não selecionado

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Android Tests

O modelo de teste que você deve usar depende do conjunto de origem. O modelo Android Tests template é adequado para testes instrumentados. O modelo JUnit é adequado para testes de unidade locais.

Se você usar o Firebase Test Lab para testes em diversos dispositivos, poderá usar esse modelo para definir os testes instrumentados. Para obter mais informações, consulte Executar testes com o Firebase Test Lab.

Name e share

Uma configuração de execução/depuração tem as opções Name e Share, mas o modelo não.

Campo Descrição
Nome O nome da configuração de execução/depuração.
Compartilhar

Selecione essa opção para disponibilizar a configuração de execução/depuração para outros membros da equipe por meio do controle de versões. Você pode compartilhar uma configuração de execução/depuração, mas não um modelo. Se você selecionar essa opção, quando for efetuado check-in do projeto no Git (ou em outro sistema de controle de versões), a configuração de execução/depuração será incluída no check-out do projeto.

O Android Studio armazena a configuração de execução/depuração compartilhada em um arquivo XML individual na pasta .idea/runConfigurations. Caso contrário, a configuração é armazenada no arquivo .idea/workspace.xml. Para obter mais informações, consulte Formato de projeto com base em diretório.

Padrão: não selecionado

Guia General

Na guia General, você pode especificar a localização do teste, o executor da instrumentação, o shell do adb e as opções de implantação.

Campo Descrição
Module Selecione um módulo para aplicação desta configuração.
Testar

Nessa área, especifique a localização dos testes que quer executar:

  • All in module (padrão) - iniciar todos os testes no módulo selecionado.
  • All in package - iniciar todos os testes no pacote especificado no campo Package. Digite o nome ou clique em para selecionar o pacote em uma caixa de diálogo.
  • Class - iniciar testes da classe especificada no campo Class. Digite o nome ou clique em para selecionar a classe em uma caixa de diálogo.
  • Method - iniciar um método de teste. No campo Class, especifique a classe que contém o método. No campo Method, especifique o método. Digite o nome ou clique em para selecionar a classe ou o método em uma caixa de diálogo.
Specific instrumentation runner (opcional) Digitar a localização do executor de instrumentação. Clique em para usar uma caixa de diálogo. O arquivo build.gradle especifica a localização do executor de instrumentação. Este valor modifica essa localização. Normalmente, o padrão é a classe AndroidJUnitRunner da Android Testing Support Library.
Extra options Digite as opções am instrument do adb que quiser usar. Não digite o componente. Por exemplo, se você usar AndroidJUnitRunner da Android Testing Support Library, use esse campo para passar opções adicionais ao executo, como -e size small. Padrão: sem opções
Deployment Target Options: Destino

Selecione uma opção:

  • Open Select Deployment Target Dialog (padrão) - abrir a caixa de diálogo Select Deployment Target para selecionar um dispositivo virtual ou de hardware.
  • USB Device - usar um dispositivo de hardware conectado ao computador de desenvolvimento por meio de uma porta USB. Se houver mais de um, será exibida uma caixa de diálogo para seleção.
  • Emulator - usar um dispositivo virtual. Em uma configuração, você pode selecionar um AVD. Caso contrário, será usado o primeiro AVD da lista.
  • Firebase Test Lab Device Matrix - consulte Executar testes com o Firebase Test Lab.
Deployment Target Options: Use same device for future launches Se você quiser usar automaticamente no futuro o dispositivo escolhido por meio da caixa de diálogo Select Deployment Target, selecione esta opção. Se o dispositivo não estiver disponível, será exibida uma caixa de diálogo. Padrão: não selecionado
Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Miscellaneous

A guia Miscellaneous contém opções do logcat e da instalação.

Campo Descrição
Logcat: Clear log before launch Selecione essa opção se quiser que os dados de sessões anteriores sejam removidos do arquivo de registros antes de iniciar o aplicativo. Padrão: não selecionado
Installation Options: Skip installation if APK has not changed Quando selecionada, o Android Studio não implantará novamente o APK se detectar que não foi alterado. Se você quiser que o Android Studio force uma instalação do APK, mesmo se não foi alterado, cancele a seleção dessa opção. Padrão: selecionada
Installation Options: Force stop running application before launching activity

Se selecionada, quando o Android Studio detectar que não é necessário reinstalar um APK não alterado, forçará o fechamento do aplicativo para que ele inicie com a atividade padrão do inicializador. Se essa opção não for selecionada, o Android Studio não forçará o fechamento do aplicativo.

Essa opção trabalha em conjunto com a opção anterior, que controla se um APK é instalado ou não. Nos dois campos Installation Options, deixe os valores padrão a menos que você queira explicitamente forçar uma instalação todas as vezes.

Em alguns casos, pode ser necessário cancelar a seleção dessa opção. Por exemplo, se você criar um mecanismo de método de entrada (IME), o fechamento forçado do aplicativo cancela sua seleção como o teclado atual, o que pode ser indesejável.

Padrão: selecionada

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Debugger

Defina opções de depuração na guia Debugger.

Para C e C++, o Android Studio usa o depurador LLDB. Além da IU convencional do Android Studio, a janela do depurador tem uma guia LLDB que permite inserir comandos do LLDB durante a depuração. Você pode inserir os mesmos comandos que o Android Studio usa para exibir informações na IU do depurador, além de poder realizar outras operações.

Para projetos em C e C++, é possível adicionar diretórios de símbolos e inicialização do LLDB e comandos de pós-vinculação na guia Debugger. Para fazer isso, use botões semelhantes aos seguintes:

Consulte Depure seu aplicativo para saber mais sobre como depurar no Android Studio.

Campo Descrição
Tipo de depuração

Selecione uma das opções a seguir:

  • Auto (padrão) - Permite que o Android Studio escolha o tipo de depuração mais indicado para o seu projeto.
  • Java - Depura somente código Java.
  • Native - Depura código C ou C++ nativo.
  • Hybrid - Depura código Java e nativo em duas sessões de depuração.

A opção Auto é recomendada porque escolhe automaticamente o tipo de depuração certo para o seu projeto.

Experimental: Use o depurador de C++ que lê Java - somente para Android N+

Selecione esta opção para depurar código C++ e Java para Android dentro da mesma sessão de depuração do LLDB. O depurador de C++ que lê Java é uma extensão do modo de depuração Native: além da depuração de C++, ele também oferece suporte a Java.

Para poder usar esse recurso, o projeto deve

  • usar exclusivamente o Android 7.0 (API de nível 24) ou posterior
  • usar Native ou Auto como Debug type

Se você selecionou Auto como Debug type, o Android Studio selecionará essa opção automaticamente se o projeto atender aos requisitos. Observe que, se você tem um projeto que só contém Java e quer usar o LLDB para depurá-lo, é possível selecionar essa opção e a Native.

A partir do Android Studio 2.2, esse recurso é experimental. Para saber mais, acesse Uso do depurador de C++ que lê Java experimental.

Padrão: não selecionado

Diretórios de símbolos

Se quiser adicionar arquivos de símbolos para fornecer ao depurador informações em C ou C++ geradas fora do Android Studio, adicione um ou mais diretórios aqui. Preferencialmente, o Android Studio usa os arquivos desses diretórios em vez dos arquivos gerados pelo plug-in do Android para o Gradle. O depurador busca nos diretórios, de cima para baixo, até achar o que precisa. A busca é recursiva pelos arquivos do diretório. Para otimizar a lista e acelerar o processo, coloque os diretórios mais usados no topo da lista.

Se você especificar um diretório que está em posição alta na árvore, poderá demorar muito para fazer a busca em todos os subdiretórios. Se você adicionar um diretório muito específico, o tempo da busca será menor. Você precisa encontrar o equilíbrio perfeito entre velocidade e encontrar os arquivos necessários à depuração. Por exemplo, se você tem um diretório que contém subdiretórios para diferentes Interfaces binárias Android (ABIs), pode escolher adicionar um diretório para uma ABI específica ou para todas as ABIs. Apesar de poder demorar mais para realizar a busca nos diretórios de nível superior, essa é uma abordagem infalível caso você decida depurar em um dispositivo diferente.

Observe que você não tem que adicionar diretórios que contêm arquivos de símbolo do Gradle porque o depurador já os usa automaticamente.

Comandos de inicialização do LLDB

Adicione os comandos do LLDB que quiser executar antes de o depurador se vincular ao processo. Por exemplo, você pode definir preferências para o ambiente, como demonstrado no comando a seguir:

settings set target.max-memory-read-size 2048

O LLDB executa os comandos de cima para baixo.

Comandos de pós-vinculação

Adicione comandos do LLDB que quer executar logo depois que o depurador se vincular ao processo. Por exemplo:

process handle SIGPIPE -n true -p true -s false

O LLDB executa os comandos de cima para baixo.

Diretório host de trabalho Especifique o diretório de trabalho do LLDB.
Registro: Canais de destino

Especifique opções de registro do LLDB. O Android Studio define as opções padrão com base na experiência da equipe — assim, ele não fica tão lento, mas contém informações necessárias para solucionar problemas. O registro muitas vezes é necessário para relatórios de erro do Android Studio. O padrão é

lldb process:gdb-remote packets

Você pode alterar o padrão para coletar mais informações. Por exemplo, as opções de registro a seguir coletam informações sobre uma platform específica:

lldb process platform:gdb-remote packets

Para ver uma lista completa de comandos de registro, digite o comando log list em uma janela de shell do LLDB no Android Studio.

O Android Studio coloca os registros do dispositivo no seguinte local, onde ApplicationId é o ID exclusivo do aplicativo usado no manifesto do APK compilado e para identificar o seu aplicativo no dispositivo e na loja do Google Play:

/data/data/ApplicationId/lldb/log

Ou, se diversos usuários acessam um dispositivo, ele coloca os registros no seguinte local, onde AndroidUserId é um identificador exclusivo de um usuário no dispositivo:

/data/user/AndroidUserId/ApplicationId/lldb/log

Para saber mais sobre como usar o LLDB para depuração remota, consulte Depuração remota.

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

Guia Profiling

Especifique as opções de definição de perfil do Depurador de GPU para o Android Monitor na guia Profiling.

Campo Descrição
Opções de rastreamento do gráfico: capturar comandos da GPU

Se ativa, executar esta configuração de execução/depuração compilará, instalará e executará o aplicativo com rastreamento de GPU. O rastreamento não é possível durante a depuração do aplicativo. Se você depurar um aplicativo com rastreamento de GPU, receberá uma mensagem e o depurador inicializará sem rastrear. Essa opção é voltada para a ferramenta Depurador de GPU

Observe que, depois de marcar essa caixa de seleção, sempre que inicializar o aplicativo, ele ficará bloqueado e esperará você vincular o depurador ou o Depurador de GPU.

Opções de rastreamento do gráfico: desativar programas e sombreadores pré-compilados

Selecione esta opção para desativar o suporte ao driver gráfico do OpenGL ES a binários de programa e sombreador pré-compilados durante o rastreamento. Essa opção é voltada para a ferramenta Depurador de GPU

Sombreadores pré-compilados não são compatíveis com reprodução dos rastreios, por isso, somente os sombreadores compilados em tempo de execução por meio do uso da função glShaderSource podem ser usados para inspeção de buffer de quadros.

Os aplicativos sempre devem verificar se há suporte a sombreador pré-compilado antes de usar as funções glShaderBinary ou glProgramBinary e retornar à compilação de tempo de execução se não houver suporte aos sombreadores ou aos programas pré-compilados.

Padrão: não selecionado

Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.

App Engine DevAppServer

Esta configuração de execução/depuração se aplica à Google Cloud Platform. Para obter mais informações, consulte Adicionar um módulo de Servlet Java do App Engine e Executar, testar e implantar o back-end. Se seguir essas etapas e sincronizar o projeto com o arquivo build.gradle, o Android Studio criará uma configuração do App Engine DevAppServer para você.

Observe que o modelo App Engine Server do IntellJ IDEA é um modelo diferente e não está disponível no Android Studio.

Campo Descrição
Nome O nome da configuração de execução/depuração.
Compartilhar

Selecione essa opção para disponibilizar a configuração de execução/depuração para outros membros da equipe por meio do controle de versões. Você pode compartilhar uma configuração de execução/depuração, mas não um modelo. Se você selecionar essa opção, quando for efetuado check-in do projeto no Git (ou em outro sistema de controle de versões), a configuração de execução/depuração será incluída no check-out do projeto.

O Android Studio armazena a configuração de execução/depuração compartilhada em um arquivo XML individual na pasta .idea/runConfigurations. Caso contrário, a configuração é armazenada no arquivo .idea/workspace.xml. Para obter mais informações, consulte Formato de projeto com base em diretório.

Padrão: não selecionado

Single instance only Se você quiser garantir que apenas uma instância da configuração de execução/depuração seja executada neste momento, selecione essa opção. Ela não permite várias execuções da mesma configuração ao mesmo tempo. Padrão: selecionada
Module Selecione um módulo para aplicação desta configuração.
Synchronize with build.gradle configuration Se quiser adicionar um módulo do App Engine e sincronizar com o arquivo build.gradle, os campos de configuração do App Engine DevAppServer serão preenchidos para você (recomendado). Se você selecionar Tools > Android > Sync Project with Gradle Files, o projeto também será sincronizado. Padrão: selecionada
App Engine SDK Digitar um caminho para um Google App Engine SDK para Java na máquina local. Clique em ... para selecioná-la em uma caixa de diálogo.
War Path Para implantações no servidor de desenvolvimento local, digitar um caminho para o diretório do arquivo do aplicativo da Web (WAR) do aplicativo. Clique em ... para selecioná-lo em uma caixa de diálogo.
VM Args

Especificar as opções de linha de comando que você quer passar para a VM para iniciar o DevAppServer. Ao especificar as opções:

  • Use espaços para separar as diferentes opções.
  • Para opções que têm espaços, coloque os espaços entre aspas (" ").
  • Se uma opção incluir aspas, adicione uma barra invertida antes das aspas (\").

Para obter mais informações sobre as opções de VM, consulte a documentação da versão do J2SE, como java JDK 7 e java JDK 8.

Padrão: sem opções

Server Address Digitar o endereço do host a ser usado para o servidor. Pode ser necessário informar o endereço para acessar o servidor de desenvolvimento de outro computador da rede. O endereço 0.0.0.0 permite acesso ao localhost e ao nome do host. Padrão: localhost
Server Port Digitar o número da porta a ser usada para o servidor. Padrão: 8080
Disable Check for App Engine SDK Updates Se informado, o servidor de desenvolvimento não entrará em contato com o App Engine para verificar a disponibilidade de uma nova versão do SDK. Por padrão, o servidor verifica a existência de uma nova versão na inicialização e imprime uma mensagem se ela está disponível.
Antes de inicializar Leia Como definir operações antes da inicialização.
This site uses cookies to store your preferences for site-specific language and display options.

Get the latest Android developer news and tips that will help you find success on Google Play.

* Required Fields

Hooray!

Follow Google Developers on WeChat

Browse this site in ?

You requested a page in , but your language preference for this site is .

Would you like to change your language preference and browse this site in ? If you want to change your language preference later, use the language menu at the bottom of each page.

This class requires API level or higher

This doc is hidden because your selected API level for the documentation is . You can change the documentation API level with the selector above the left navigation.

For more information about specifying the API level your app requires, read Supporting Different Platform Versions.

Take a short survey?
Help us improve the Android developer experience.
(Sep 2017 survey)