APIs nativas

Mantenha tudo organizado com as coleções Salve e categorize o conteúdo com base nas suas preferências.

Esta página oferece uma visão geral das bibliotecas incluídas no NDK, com links para as partes relevantes da referência da API NDK e para guias (se disponíveis).

Usar APIs nativas

Há duas etapas para usar uma biblioteca fornecida pelo NDK:

  1. Dizer ao sistema de compilação para vincular à biblioteca.

    • Se você estiver usando ndk-build: adicione a biblioteca a LOCAL_LDLIBS do Android.mk. É necessário tirar o lib principal e dizer -l. Por exemplo, para vincular a libfoo e libbar, você escreveria makefile LOCAL_LDLIBS := -lfoo -lbar

      Para saber mais sobre LOCAL_LDLIBS, consulte a documentação do Android.mk.

    • Se você estiver usando CMake: siga as instruções do documento Adicionar APIs NDK do Studio.

  2. #include os cabeçalhos adequados do seu código.

C/C++ principal

Biblioteca C

Os cabeçalhos da biblioteca C11 padrão, como <stdlib.h> e <stdio.h>, estão disponíveis normalmente.

No Android, diferentemente do Linux, não há bibliotecas libpthread ou librt separadas. Essa funcionalidade é incluída diretamente em libc, que não precisa ser vinculada de forma explícita.

Há uma libm separada para funções matemáticas (seguindo a tradição usual do Unix), mas assim como libc, isso é automaticamente vinculado pelos sistemas de compilação.

A funcionalidade do vinculador dinâmico em <dlfcn.h>, como dlopen(3) e dlsym(3), está disponível, mas é necessário vincular libdl explicitamente.

Biblioteca: libc / libm / libdl

Biblioteca C++

A compatibilidade com C++17 está disponível. Para saber mais sobre a compatibilidade com a biblioteca C++, consulte Compatibilidade com a biblioteca C++.

Gerar registros

<android/log.h> contém APIs para a geração de registros no logcat.

Disponível desde a API de nível 3.

Biblioteca: liblog

Referência: Geração de registros

Rastros

A API de rastreamento nativo <android/trace.h> fornece o equivalente nativo da classe android.os.Trace na linguagem de programação Java. Essa API permite que você rastreie unidades de trabalho nomeadas no seu código programando eventos de rastreamento para o buffer de rastreamento do sistema. Então, é possível coletar e analisar os eventos de rastreamento usando a ferramenta Systrace.

Disponível desde a API de nível 23.

Biblioteca: libandroid

Guia: Rastreamento nativo

Compactação zlib

Você pode usar a Biblioteca de compactação Zlib (link em inglês), incluindo <zlib.h> e vinculando a libz.

Disponível desde a API de nível 3.

Biblioteca: libz

Gráficos

OpenGL ES 1.0 - 3.2

Os cabeçalhos padrão do OpenGL ES 1.x (<GLES/gl.h> e <GLES/glext.h>), cabeçalhos 2.0 (<GLES2/gl2.h> e <GLES2/gl2ext.h>), cabeçalhos 3.0 (<GLES3/gl3.h> e <GLES3/gl3ext.h>), cabeçalhos 3.1 (<GLES3/gl31.h> e <GLES3/gl3ext.h>) e cabeçalhos 3.2 (<GLES3/gl32.h> e <GLES3/gl3ext.h>) contêm as declarações necessárias para o OpenGL ES.

Para usar o OpenGL ES 1.x, vincule seu módulo nativo a libGLESv1_CM.

Para usar o OpenGL ES 2.0, vincule seu módulo nativo a libGLESv2.

Para usar o OpenGL ES 3.x, vincule seu módulo nativo a libGLESv3.

Todos os dispositivos com Android são compatíveis com OpenGL ES 1.0 e 2.0.

Somente dispositivos Android com a GPU necessária têm suporte a versões mais recentes do OpenGL ES, mas as bibliotecas estão presentes em todos os dispositivos com suporte ao nível da API em que foram inseridos. É seguro vincular às bibliotecas, mas um app precisa consultar a string de extensão e a string da versão do OpenGL ES para determinar se o dispositivo atual é compatível com os recursos necessários. Para saber mais sobre como realizar essa consulta, confira a descrição de glGetString() na especificação do OpenGL.

Além disso, coloque uma tag <uses-feature> no seu arquivo de manifesto para indicar a versão do OpenGL ES necessária.

O OpenGL ES 1.0 está disponível a partir do nível 4 da API.

O OpenGL ES 2.0 está disponível a partir do nível 5 da API.

O OpenGL ES 3.0 está disponível a partir do nível 18 da API.

O OpenGL ES 3.1 está disponível a partir do nível 21 da API.

O OpenGL ES 3.2 está disponível a partir do nível 24 da API.

EGL

A biblioteca EGL oferece uma interface de plataforma nativa por meio dos cabeçalhos <EGL/egl.h> e <EGL/eglext.h> para alocação e gerenciamento de contextos e superfícies do OpenGL ES.

A EGL permite realizar as seguintes operações a partir do código nativo:

  • Listar configurações de EGL com suporte
  • Alocar e lançar superfícies do OpenGL ES.
  • Criar e destruir contextos do OpenGL ES.
  • Trocar ou inverter superfícies

O nível 24 da API incluiu o suporte às extensões EGL_KHR_mutable_render_buffer, ANDROID_create_native_client_buffer e ANDROID_front_buffer_auto_refresh (links em inglês).

Disponível a partir do nível 9 da API.

Biblioteca: libEGL

Guia: Interface de plataforma nativa EGL (em inglês)

Vulkan

Vulkan é uma API multiplataforma de baixa sobrecarga para renderizar gráficos 3D de alta performance. Vulkan é um padrão aberto mantido pelo Khronos Group. O arquivo principal <vulkan/vulkan.h> padrão contém as declarações necessárias para executar chamadas de renderização da Vulkan pelo seu código.

Para acessar exemplos de código, consulte os projetos LunarG VulkanSamples e android-vulkan-tutorials (links em inglês) no GitHub.

A biblioteca Vulkan está presente em todos os dispositivos com suporte à API de nível 24 ou mais recente, mas os apps precisam verificar no momento da execução se o suporte ao hardware de GPU necessário está disponível. Os dispositivos sem compatibilidade com a Vulkan retornarão zero dispositivo de vkEnumeratePhysicalDevices (link em inglês).

Disponível a partir do nível 24 da API.

Biblioteca: libvulkan

Guia: Guia da API de gráficos da Vulkan

Bitmaps

A biblioteca libjnigraphics expõe a API que permite acesso aos buffers de pixel dos objetos Java Bitmap. O fluxo de trabalho é o seguinte:

  1. Chame AndroidBitmap_getInfo() para recuperar informações, como largura e altura, sobre um determinado identificador de bitmap.

  2. Chame AndroidBitmap_lockPixels() para bloquear o buffer de pixels e recuperar um ponteiro para ele. Isso garante que os pixels não se movam até que o app chame AndroidBitmap_unlockPixels().

  3. Modifique o buffer de pixels conforme apropriado para seu formato de pixel, largura e outras características.

  4. Chame AndroidBitmap_unlockPixels() para desbloquear o buffer.

Disponível desde a API de nível 8.

Biblioteca: libjnigraphics

Referência: Referência da API Bitmap

API Sync

Disponível a partir do nível 26 da API.

Biblioteca: libsync

Referência: Referência da API Sync

Câmera

As APIs de câmera nativa realizam a captura e o processamento refinados de fotos. Diferentemente da API Java camera2, a API nativa de câmera não é compatível com implementações obsoletas HAL 1.0 de câmera. Ou seja, a lista de câmeras disponíveis na API nativa da câmera não incluirá dispositivos de câmera que tenham o nível de hardware LEGACY.

Disponível a partir do nível 24 da API.

Biblioteca: libcamera2ndk

Referência: Referência da API Camera

Mídia

libmediandk

As APIs Media fornecem interfaces nativas de baixo nível semelhantes a MediaExtractor, MediaCodec e outras APIs Java relacionadas.

Biblioteca: libmediandk

Referência: Referência da API Media

OpenMAX AL

O gerenciamento nativo de multimídia do Android se baseia na API OpenMAX AL 1.0.1 do Khronos Group.

Os cabeçalhos OpenMAX AL padrão <OMXAL/OpenMAXAL.h> e <OMXAL/OpenMAXAL_Platform.h> contêm as declarações necessárias para executar a saída de multimídia do lado nativo do Android.

A distribuição do OpenMAX AL do NDK também fornece extensões específicas do Android. Para saber mais sobre essas extensões, consulte os comentários em <OMXAL/OpenMAXAL_Android.h>.

Disponível a partir do nível 14 da API.

Biblioteca: libOpenMAXAL

APIs de aplicativo nativo do Android

Para mais informações, consulte a documentação Referência da API do Android NDK.

As APIs incluem:

Biblioteca: libandroid

Biblioteca: libnativewindow para a função de janela nativa mais recente

Referência completa: Referência da API Android NDK

APIs de buffer de hardware

Duas APIs nativas permitem que você crie seus pipelines para o gerenciamento de buffer em processo cruzado.

A API de buffer de hardware nativo <android/hardware_buffer.h> permite alocar buffers diretamente para criar pipelines próprios para gerenciamento de buffer em processo cruzado. É possível alocar um AHardwareBuffer e usá-lo para ter um tipo de recurso EGLClientBuffer por meio da extensão eglGetNativeClientBufferANDROID. Você pode transmitir esse buffer para eglCreateImageKHR e criar um tipo de recurso EGLImage, que pode então ser vinculado a uma textura via glEGLImageTargetTexture2DOES (links em inglês) nos dispositivos com suporte. Isso pode ser útil para criar texturas que possam ser compartilhadas em processo cruzado.

A API JNI de buffer de hardware nativo (<android/hardware_buffer_jni.h>) permite ter um objeto HardwareBuffer. Esse é um Parcelable e, portanto, pode ser transportado entre dois processos diferentes. Isso dá ao app capacidades semelhantes a SurfaceFlinger (link em inglês), por exemplo, criar uma fila de buffers própria entre processos sem acessar APIs internas do Android.

Áudio

AAudio

AAudio é a API de áudio nativa compatível atualmente. Ela substituiu a OpenSL ES e oferece melhor suporte a apps de áudio de alta performance que exigem áudio de baixa latência.

Disponível a partir do nível 26 da API.

Biblioteca: libaaudio

Guia: Guia da API AAudio

Referência: Referência da API AAudio

OpenSL ES

OpenSL ES é outra API de áudio nativa que também tem suporte, mas consulte a observação no guia abaixo.

Disponível a partir do nível 9 da API. A API de nível 14 adicionou compatibilidade com PCM.

Biblioteca: libOpenSLES

Guia: Guia da OpenSL ES para Android

API Neural Networks

A API Android Neural Networks (NNAPI) fornece aceleração de hardware aos apps para operações de aprendizado de máquina no dispositivo. A API tem suporte ao modelo de criação, compilação e execução no dispositivo. Os apps não costumam usar NNAPI diretamente. Em vez disso, ela precisa ser chamada por bibliotecas de aprendizado de máquina, frameworks e ferramentas que permitam que os desenvolvedores treinem modelos e os implantem em dispositivos Android.

Disponível a partir do nível 27 da API.

Biblioteca: libneuralnetworks

Guia: Guia de redes neurais

Referência: Referência da API Neural Networks