Visão geral do Faturamento no aplicativo

Este documento descreve os principais componentes e recursos do Faturamento no aplicativo que você precisa conhecer para adicionar recursos de faturamento no aplicativo ao seu aplicativo.

Observação: Certifique-se de respeitar as leis aplicáveis dos países em que distribui aplicativos. Por exemplo, em países da União Europeia, as leis baseadas na Unfair Commercial Practices Directive proíbe incentivos diretos a crianças quanto à compra de produtos anunciados ou persuadir seus pais ou outros adultos a comprar produtos anunciados para eles. Consulte a determinação das autoridades de proteção ao consumidor da UE para saber mais sobre isso e outros assuntos.

In-app Billing API

O aplicativo acessa o serviço de Faturamento no aplicativo usando uma API exposta pelo aplicativo Google Play que está instalado no dispositivo. Em seguida, o aplicativo Google Play transporta solicitações e respostas de faturamento entre o seu aplicativo e o servidor do Google Play. Na prática, seu aplicativo nunca se comunica diretamente com o servidor do Google Play. Em vez disso, ele envia solicitações de faturamento ao aplicativo Gerenciamento por meio de comunicação entre processos (IPC) e recebe respostas do aplicativo Google Play. Seu aplicativo não gerenciar nenhuma conexão de rede entre si e o servidor do Google Play.

Você pode implementar o Faturamento no aplicativo somente em aplicativos que publicar por meio do Google Play. Para concluir as solicitações de compra no aplicativo, o aplicativo Google Play deve poder acessar o servidor do Google Play pela rede.

A versão 3 do Faturamento no aplicativo é a versão mais recente e oferece compatibilidade muito ampla com uma série de dispositivos Android. A versão 3 da In-app Billing API é compatível com dispositivos com Android 2.2 (API de nível 8) ou posteriores que tenham a versão mais recente do aplicativo Google Play instalado (a grande maioria dos dispositivos ativos).

Recursos da versão 3

A versão 3 do Faturamento no aplicativo oferece os seguintes recursos:

  • O aplicativo envia solicitações por meio de uma API simplificada que permite que os usuários solicitem detalhes do produto facilmente ao Google Play e peçam produtos internos do aplicativo. A API restaura os produtos rapidamente com base nos itens de posse do usuário.
  • A API propaga, de forma síncrona, as informações do pedido ao dispositivo no ato da conclusão da compra.
  • Todas as compras são gerenciadas (ou seja, o Google Play armazena registros dos produtos internos do aplicativo de posse do usuário). O usuário não consegue obter diversas cópias do mesmo produto interno do aplicativo. Ele só pode ter uma cópia em dado momento.
  • Os produtos comprados podem ser consumidos. Quando consumidos, o produto retorna ao estado não detido e pode ser comprado novamente pelo Google Play.
  • A API é compatível com assinaturas.

Para obter detalhes sobre as outras versões do Faturamento no aplicativo, consulte as Notas da versão.

Produtos no aplicativo

Produtos internos de um aplicativo são produtos digitais oferecidos para venda a usuários dentro do aplicativo. Exemplos de produtos digitais: moeda de jogos, atualizações de recursos do aplicativo, que melhoram a experiência do usuário e novos conteúdos.

É possível usar o Faturamento no aplicativo para vender apenas conteúdo digital. Não se pode usar o Faturamento no aplicativo para vender produtos físicos, serviços pessoais nem nada que exija entrega física. Diferentemente dos aplicativos pagos, não há janela de reembolso depois de comprado o produto interno do aplicativo.

O Google Play não oferece nenhum método para fornecer o conteúdo. Você é responsável por fornecer o conteúdo digital que vende nos seus aplicativos. Produtos internos de um aplicativo sempre são explicitamente associados a apenas um aplicativo. Ou seja, um aplicativo não oferecer a compra de um produto interno publicado por outro aplicativo, mesmo que sejam do mesmo desenvolvedor.

Tipos de produto

O Faturamento no aplicativo é compatível com diversos tipos de produto, dando a flexibilidade na forma de monetizar o aplicativo. Em todos os casos, você estabelece os produtos usando o Google Play Developer Console.

É possível especificar dois tipos de produto para o aplicativo com Faturamento no aplicativo: produtos internos gerenciados e assinaturas. O Google Play gerencia e controla a posse de produtos internos e assinaturas do aplicativo por usuário. Saiba mais sobre os tipos de produto disponíveis na versão 3 do Faturamento no aplicativo.

Google Play Developer Console

É no Developer Console que se pode publicar o aplicativo com Faturamento no aplicativo e gerenciar os diversos produtos internos disponíveis para compra no aplicativo.

Você pode criar uma lista de produtos digitais associada que seja associada ao aplicativo, inclusive produtos de compra pontual e assinaturas recorrentes. Você ainda pode configurar informações para cada produto, como o exposto a seguir:

  • ID de produto exclusivo (também chamado de SKU).
  • Tipo de produto.
  • Preço.
  • Descrição.
  • Gerenciamento e controle de compras desse produto por parte do Google Play.

Se você vender diversos aplicativos ou produtos internos de um aplicativo pelo mesmo preço, é possível adicionar modelos de precificação para gerenciar esses pontos de preço a partir de um local centralizado. Ao usar os modelos de precificação, você pode incluir impostos locais aos preços que fornecer ou até fornecer preços e configurar o sistema para adicionar impostos locais a eles. É possível fazer alterações nos preços no modelo de precificação, como atualizar as taxas de câmbio de determinados países, e as mudanças se aplicarão aos aplicativos e produtos internos vinculados ao modelo.

É possível ainda criar contas de teste para autorizar o acesso a testes de aplicativos não publicados.

Para saber como usar o Developer Console para configurar os produtos internos do seu aplicativo e a lista de produtos, consulte Administração do faturamento no aplicativo.

Fluxo de compra do Google Play

O Google Play usa o mesmo serviço de finalização de compra de back-end que é usado para compras no aplicativo, assim os usuários desfrutam de um fluxo de compra consistente e conhecido.

Importante: Você deve ter uma conta comercial no Google Payments para usar o serviço de Faturamento no aplicativo no Google Play.

Para iniciar uma compra, o aplicativo envia uma solicitação de faturamento a determinado produto interno do aplicativo. Em seguida, o Google Play lida com todos os detalhes da finalização da transação, inclusive a solicitação e a validação da forma de pagamento e o processamento da transação financeira.

Quando o processo de finalização é concluído, o Google Play envia ao aplicativo os detalhes da compra, como o número do pedido, a data e o horário do pedido e o valor pago. Em nenhum momento o aplicativo precisa lidar com transações financeiras — essa função pertence ao Google Play.

Exemplo de aplicativo

Para ajudar a integrar o Faturamento no aplicativo ao aplicativo, o Android SDK fornece um exemplo de aplicativo que demonstra como vender assinaturas e produtos internos de um aplicativo dentro do aplicativo.

O exemplo do TrivialDrive da versão 3 da API mostra como usar a versão 3 da In-app Billing API para implementar compras de assinaturas e produtos internos do aplicativo em um jogo de carros. O aplicativo demonstra como enviar solicitações de Faturamento no aplicativo e lidar com respostas síncronas do Google Play. O aplicativo também mostra como registrar o consumo do produto com a API. O exemplo da versão 3 contém aulas adicionais de processamento de operações de faturamento no aplicativo, além de como realizar verificação automática de assinaturas.

Recomendação: Não deixe de ofuscar o código do aplicativo antes de publicá-lo. Para saber mais, consulte Segurança e projeto.

Considerações sobre a migração

A versão 2 da In-app Billing API foi descontinuada em janeiro de 2015. Se você tem uma implementação do Faturamento no aplicativo ativa que usa a versão 2 da API ou anterior, você deve migrar para a versão 3 da In-app Billing API.

Depois de migrar, os produtos gerenciados e os não gerenciados serão tratados da seguinte forma:

  • Produtos gerenciados e assinaturas já definidas no Developer Console funcionarão com a versão 3 da mesma forma.
  • Produtos não gerenciados definidos para aplicativos existentes serão tratados como produtos gerenciados caso se faça uma solicitação de compra deles usando a versão 3 da API. Não será preciso recriar esses produtos no Developer Console e você poderá usar os mesmos IDs de produto para gerenciá-los.