O Google tem o compromisso de promover a igualdade racial para as comunidades negras. Saiba como.

Visão geral da administração de dispositivos

Suspensão de uso do administrador do dispositivo. A partir do Android 9 (API nível 28), algumas políticas de administrador serão marcadas como obsoletas quando invocadas por um administrador de dispositivo. Recomendamos que você comece a se preparar agora para essa mudança. Para saber mais e ver as opções de migração, leia Suspensão de uso do administrador do dispositivo.

O Android inclui compatibilidade com apps empresariais oferecendo a API Android Device Administration. A API Device Administration oferece recursos de administração de dispositivos no sistema. Essas APIs permitem criar apps com reconhecimento de segurança que são úteis em configurações corporativas, em que os profissionais de TI exigem controle avançado sobre os dispositivos dos funcionários. Por exemplo, o app de e-mail integrado do Android usou essas APIs para melhorar a compatibilidade com o Exchange. Por meio do app de e-mails, os administradores do Exchange podem implementar políticas de senha em vários dispositivos, incluindo senhas alfanuméricas ou PINs numéricos. Os administradores também podem apagar remotamente os dispositivos perdidos ou roubados, ou seja, redefini-los para a configuração original. Os usuários do Exchange podem sincronizar os dados de e-mails e da agenda.

Este documento é destinado aos desenvolvedores que querem criar soluções empresariais para dispositivos com tecnologia Android. Ele aborda os diversos recursos oferecidos pela API Device Administration para aumentar a segurança dos dispositivos Android usados pelos funcionários.

Observação: para ver informações sobre como criar um controlador de políticas profissionais para implementações do Android Enterprise, consulte Criar um controlador de política de dispositivo.

Visão geral da API Device Administration

Veja alguns exemplos dos tipos de apps que podem usar a API Device Administration:

  • Clientes de e-mail
  • Apps de segurança que fazem apagamento remoto
  • Apps e serviços de gerenciamento de dispositivos

Como funciona?

A API Device Administration é usada para gravar apps de administração de dispositivo que os usuários instalam. O app de administração de dispositivo implementa as políticas visadas. Veja como funciona:

  • Um administrador do sistema cria um app de administração de dispositivo que implementa políticas de segurança de dispositivos remotos/locais. Essas políticas podem ser codificadas no app ou o app pode buscar políticas de um servidor de terceiros de forma dinâmica.
  • O app é instalado nos dispositivos dos usuários. No momento, o Android não tem uma solução automática de provisionamento. Algumas das maneiras com que um administrador do sistema distribui o app para os usuários são as seguintes:
    • Google Play
    • Ativação da instalação a partir de outra loja
    • Distribuição do app por outros meios, como e-mails ou sites
  • O sistema solicita que o usuário ative o app de administração de dispositivo. Como e quando isso acontece depende de como o app é implementado.
  • Quando os usuários ativarem o app de administração de dispositivo, eles estarão sujeitos às políticas relacionadas. O cumprimento dessas políticas normalmente traz alguns benefícios, como o acesso a sistemas e dados confidenciais.

Se os usuários não ativarem o app de administração de dispositivo, ele permanecerá no dispositivo, mas em um estado inativo. O usuário não estará sujeito às políticas e, por outro lado, não receberá nenhum dos benefícios do app. Por exemplo, não será possível sincronizar dados.

Se o usuário não obedecer às políticas (por exemplo, definir uma senha que viole as diretrizes), cabe ao app decidir como lidar com isso. No entanto, isso normalmente faz com que o usuário não consiga sincronizar dados.

Se um dispositivo tentar se conectar a um servidor que exija políticas incompatíveis com a API Device Administration, a conexão não será permitida. No momento, a API Device Administration não permite provisionamento parcial. Em outras palavras, se um dispositivo (por exemplo, um dispositivo herdado) não for compatível com todas as políticas estabelecidas, não será possível permitir que o dispositivo se conecte.

Se um dispositivo tiver vários apps de administração ativados, a política mais rigorosa entrará em vigor. Não há como segmentar um app de administração específico.

Para desinstalar um app de administração de dispositivo existente, o usuário precisa cancelar o registro do app como administrador.

Políticas

Em uma configuração empresarial, é comum que os dispositivos de funcionários precisem adotar um conjunto estrito de políticas que regem o uso do dispositivo. A API Device Administration é compatível com as políticas listadas na Tabela 1. No momento, a API Device Administration é compatível apenas com senhas para bloqueio de tela:

Tabela 1. Políticas compatíveis com a API Device Administration.

Política Descrição
Senha ativada Exige que os dispositivos solicitem PIN ou senhas.
Tamanho mínimo da senha Define o número de caracteres necessários para a senha. Por exemplo, você pode exigir que o PIN ou as senhas tenham pelo menos seis caracteres.
Senha alfanumérica necessária Exige que as senhas tenham uma combinação de letras e números. Caracteres simbólicos podem ser usados.
Senha complexa necessária Exige que as senhas contenham pelo menos uma letra, um dígito numérico e um símbolo especial. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de letras necessário na senha O número mínimo de letras exigido na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de letras minúsculas necessário na senha O número mínimo de letras minúsculas exigido na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de caracteres diferentes de letras exigido na senha O número mínimo de caracteres diferentes de letras exigido na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de dígitos exigido na senha O número mínimo de dígitos numéricos necessário na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de símbolos necessário na senha O número mínimo de símbolos exigido na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Número mínimo de letras maiúsculas exigido na senha O número mínimo de letras maiúsculas exigido na senha para todos os administradores ou para um determinado usuário. Introduzido no Android 3.0.
Tempo limite de expiração da senha Momento de expiração da senha, expresso como um delta em milésimos de segundo a partir do momento em que um administrador do dispositivo define o tempo limite de expiração. Introduzido no Android 3.0.
Restrição do histórico de senhas Essa política evita que os usuários reutilizem as últimas n senhas exclusivas. Em geral, essa política é usada em conjunto com setPasswordExpirationTimeout(), que força os usuários a atualizar as senhas depois de um determinado período. Introduzido no Android 3.0.
Número máximo de tentativas de senha Especifica quantas vezes um usuário pode inserir a senha errada antes que o dispositivo exclua permanentemente os dados. A API Device Administration também permite que os administradores redefinam remotamente o dispositivo para a configuração original. Isso protege os dados caso o dispositivo seja perdido ou roubado.
Tempo máximo de inatividade para bloqueio Define o tempo a partir da última vez que o usuário toca na tela ou pressiona um botão antes que o dispositivo bloqueie a tela. Quando isso acontece, os usuários precisam inserir o PIN ou as senhas novamente para usar o dispositivo e acessar os dados. O valor pode variar entre 1 e 60 minutos.
Exigir criptografia de armazenamento Especifica que a área de armazenamento que deverá ser criptografada, se o dispositivo for compatível com essa ação. Introduzido no Android 3.0.
Desativar câmera Especifica que a câmera deve ser desativada. Essa desativação não precisa ser permanente. A câmera pode ser ativada ou desativada dinamicamente com base no contexto, no horário e assim por diante. Introduzido no Android 4.0.

Outros recursos

Além de oferecer compatibilidade com as políticas listadas na tabela acima, a API Device Administration permite fazer o seguinte:

  • Solicitar que o usuário defina uma nova senha.
  • Bloquear o dispositivo imediatamente.
  • Excluir permanentemente os dados do dispositivo (ou seja, restaurar o dispositivo para a configuração original).

App de exemplo

Os exemplos usados neste documento são baseados na amostra da API Device Administration, que está incluída nas amostras do SDK (disponíveis por meio do Android SDK Manager) e localizada no sistema como <sdk_root>/ApiDemos/app/src/main/java/com/example/android/apis/app/DeviceAdminSample.java.

O app de exemplo oferece uma demonstração dos recursos do administrador do dispositivo. Ele apresenta aos usuários uma interface que permite ativar o app de administração de dispositivo. Depois de ativar o app, é possível usar os botões na interface do usuário para fazer o seguinte:

  • Definir a qualidade da senha.
  • Especificar os requisitos para a senha do usuário, como tamanho mínimo, número mínimo de caracteres numéricos e assim por diante.
  • Definir a senha. Se a senha não estiver de acordo com as políticas especificadas, o sistema retornará um erro.
  • Defina quantas tentativas de senha podem ocorrer antes que o dispositivo passe por uma exclusão permanente, ou seja, seja redefinido para a configuração original.
  • Definir o tempo de validade da senha.
  • Definir o tamanho do histórico de senhas (tamanho se refere ao número de senhas antigas armazenadas no histórico). Isso evita que os usuários reutilizem uma das últimas n senhas usadas anteriormente.
  • Especificar que a área de armazenamento deverá ser criptografada, se o dispositivo for compatível com essa ação.
  • Definir o tempo máximo de inatividade antes que o dispositivo seja bloqueado.
  • Fazer o dispositivo ser bloqueado imediatamente.
  • Excluir permanentemente os dados do dispositivo, ou seja, redefini-lo para a configuração original.
  • Desativar a câmera.

Figura 1. Captura de tela do app de exemplo.

Desenvolver um app de administração de dispositivo

Os administradores do sistema podem usar a API Device Administration para criar um app que implemente a política de dispositivos remotos/locais. Esta seção resume as etapas envolvidas na criação de um app de administração de dispositivo.

Criar o manifesto

Para usar a API Device Administration, o manifesto do app precisa incluir o seguinte:

Este é um trecho da amostra de manifesto da Device Administration:

<activity android:name=".app.DeviceAdminSample"
                android:label="@string/activity_sample_device_admin">
        <intent-filter>
            <action android:name="android.intent.action.MAIN" />
            <category android:name="android.intent.category.SAMPLE_CODE" />
        </intent-filter>
    </activity>
    <receiver android:name=".app.DeviceAdminSample$DeviceAdminSampleReceiver"
            android:label="@string/sample_device_admin"
            android:description="@string/sample_device_admin_description"
            android:permission="android.permission.BIND_DEVICE_ADMIN">
        <meta-data android:name="android.app.device_admin"
                android:resource="@xml/device_admin_sample" />
        <intent-filter>
            <action android:name="android.app.action.DEVICE_ADMIN_ENABLED" />
        </intent-filter>
    </receiver>

Algumas considerações:

  • Os atributos a seguir se referem aos recursos de string que, para o app de exemplo, residem em ApiDemos/res/values/strings.xml. Para ver mais informações sobre recursos, consulte Visão geral dos recursos de aplicativo.
    • android:label="@string/activity_sample_device_admin" se refere ao rótulo legível pelo usuário para a atividade.
    • android:label="@string/sample_device_admin" se refere ao rótulo legível pelo usuário para a permissão.
    • android:description="@string/sample_device_admin_description" se refere à descrição legível pelo usuário da permissão. Uma descrição normalmente é mais longa e informativa que um rótulo.
  • android:permission="android.permission.BIND_DEVICE_ADMIN" é uma permissão que uma subclasse DeviceAdminReceiver precisa ter para garantir que apenas o sistema possa interagir com o destinatário (nenhum app pode receber essa permissão). Isso evita que outros apps abusem do app de administração de dispositivo.
  • android.app.action.DEVICE_ADMIN_ENABLED é a principal ação que uma subclasse DeviceAdminReceiver precisa processar para ter permissão para gerenciar um dispositivo. Isso é definido para o destinatário quando o usuário ativa o app de administração de dispositivo. Em geral, seu código processa isso em onEnabled(). Para ser aceito, o destinatário também precisa exigir a permissão BIND_DEVICE_ADMIN para que outros apps não abusem dele.
  • Quando um usuário ativa o app de administração de dispositivo, o destinatário recebe permissão para realizar ações em resposta à transmissão de eventos específicos do sistema. Quando um evento adequado surgir, o app poderá impor uma política. Por exemplo, se o usuário tentar definir uma nova senha que não atenda aos requisitos da política, o app poderá solicitar que o usuário escolha uma senha diferente que atenda a essas exigências.
  • Evite mudar o nome do destinatário depois de publicar seu app. Se o nome no manifesto mudar, o administrador do dispositivo será desativado quando os usuários atualizarem o app. Para saber mais, consulte <receiver>.
  • android:resource="@xml/device_admin_sample" declara as políticas de segurança usadas nos metadados. Os metadados oferecem mais informações específicas para o administrador do dispositivo, conforme analisado pela classe DeviceAdminInfo. Veja o conteúdo de device_admin_sample.xml:
<device-admin xmlns:android="http://schemas.android.com/apk/res/android">
      <uses-policies>
        <limit-password />
        <watch-login />
        <reset-password />
        <force-lock />
        <wipe-data />
        <expire-password />
        <encrypted-storage />
        <disable-camera />
      </uses-policies>
    </device-admin>
    

Ao projetar seu app de administração de dispositivo, não é necessário incluir todas as políticas, apenas aquelas que são relevantes para o app.

Para ver mais discussões sobre o arquivo de manifesto, consulte o Guia do desenvolvedor Android.

Implementar o código

A API Device Administration inclui as seguintes classes:

DeviceAdminReceiver
Classe básica para implementar um componente de administração do dispositivo. Essa classe traz conveniência para a interpretação de ações de intent brutas que são enviadas pelo sistema. Seu app de administração de dispositivo precisa incluir uma subclasse DeviceAdminReceiver.
DevicePolicyManager
Uma classe de gerenciamento de políticas implementadas em um dispositivo. A maior parte dos clientes dessa classe precisa ter publicado um DeviceAdminReceiver atualmente ativado pelo usuário. O DevicePolicyManager gerencia as políticas para uma ou mais instâncias DeviceAdminReceiver
.
DeviceAdminInfo
Uma classe usada para especificar metadados para um componente do administrador do dispositivo.

Essas classes oferecem a base para um app de administração de dispositivo totalmente funcional. O restante desta seção descreve como usar as APIs DeviceAdminReceiver e DevicePolicyManager para criar um app de administração de dispositivo.

Subclasse DeviceAdminReceiver

Para criar um app de administração de dispositivo, é necessário criar uma subclasse de DeviceAdminReceiver. A classe DeviceAdminReceiver consiste em uma série de callbacks que são acionados quando eventos específicos ocorrem.

Na subclasse DeviceAdminReceiver, o app de exemplo exibe apenas uma notificação Toast em resposta a eventos específicos. Por exemplo:

Kotlin

    class DeviceAdminSample : DeviceAdminReceiver() {

        private fun showToast(context: Context, msg: String) {
            context.getString(R.string.admin_receiver_status, msg).let { status ->
                Toast.makeText(context, status, Toast.LENGTH_SHORT).show()
            }
        }

        override fun onEnabled(context: Context, intent: Intent) =
                showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_enabled))

        override fun onDisableRequested(context: Context, intent: Intent): CharSequence =
                context.getString(R.string.admin_receiver_status_disable_warning)

        override fun onDisabled(context: Context, intent: Intent) =
                showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_disabled))

        override fun onPasswordChanged(context: Context, intent: Intent, userHandle: UserHandle) =
                showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_pw_changed))
    ...
    }
    

Java

    public class DeviceAdminSample extends DeviceAdminReceiver {

        void showToast(Context context, String msg) {
            String status = context.getString(R.string.admin_receiver_status, msg);
            Toast.makeText(context, status, Toast.LENGTH_SHORT).show();
        }

        @Override
        public void onEnabled(Context context, Intent intent) {
            showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_enabled));
        }

        @Override
        public CharSequence onDisableRequested(Context context, Intent intent) {
            return context.getString(R.string.admin_receiver_status_disable_warning);
        }

        @Override
        public void onDisabled(Context context, Intent intent) {
            showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_disabled));
        }

        @Override
        public void onPasswordChanged(Context context, Intent intent, userHandle: UserHandle) {
            showToast(context, context.getString(R.string.admin_receiver_status_pw_changed));
        }
    ...
    }
    

Ativar o app

Um dos principais eventos que um app de administração de dispositivo precisa processar é aquele em que o usuário ativa o app. O usuário precisa ativar explicitamente o app para que as políticas sejam implementadas. Se o usuário optar por não ativar o app, ele continuará no dispositivo, mas as políticas relacionadas não entrarão em vigor, e o usuário não receberá nenhum benefício do app.

O processo de ativação do app começa quando o usuário faz algo que aciona o intent ACTION_ADD_DEVICE_ADMIN. No app de exemplo, isso acontece quando o usuário clica na caixa de seleção Enable Admin.

Quando o usuário clica na caixa de seleção Enable Admin, a tela muda para solicitar que o usuário ative o app de administração de dispositivo, conforme mostrado na figura 2.

Figura 2. App de exemplo: ativação do app.

Veja abaixo o código que é executado quando o usuário clica na caixa de seleção Enable Admin. Essa ação tem o efeito de acionar o callback onPreferenceChange(). Esse callback será invocado quando o valor de Preference tiver sido alterado pelo usuário e estiver prestes a ser definido e/ou persistido. Se o usuário estiver ativando o app, a tela mudará para solicitar que o usuário ative o app de administração de dispositivo, como mostrado na figura 2. Caso contrário, o app de administração de dispositivo será desativado.

Kotlin

    override fun onPreferenceChange(preference: Preference, newValue: Any): Boolean {
        if (super.onPreferenceChange(preference, newValue)) return true
        val value = newValue as Boolean
        if (preference == enableCheckbox) {
            if (value != adminActive) {
                if (value) {
                    // Launch the activity to have the user enable our admin.
                    val intent = Intent(DevicePolicyManager.ACTION_ADD_DEVICE_ADMIN).apply {
                        putExtra(DevicePolicyManager.EXTRA_DEVICE_ADMIN, deviceAdminSample)
                        putExtra(DevicePolicyManager.EXTRA_ADD_EXPLANATION,
                                activity.getString(R.string.add_admin_extra_app_text))
                    }
                    startActivityForResult(intent, REQUEST_CODE_ENABLE_ADMIN)
                    // return false - don't update checkbox until we're really active
                    return false
                } else {
                    dpm.removeActiveAdmin(deviceAdminSample)
                    enableDeviceCapabilitiesArea(false)
                    adminActive = false
                }
            }
        } else if (preference == disableCameraCheckbox) {
            dpm.setCameraDisabled(deviceAdminSample, value)
        }
        return true
    }
    

Java

    @Override
    public boolean onPreferenceChange(Preference preference, Object newValue) {
        if (super.onPreferenceChange(preference, newValue)) {
            return true;
        }
        boolean value = (Boolean) newValue;
        if (preference == enableCheckbox) {
            if (value != adminActive) {
                if (value) {
                    // Launch the activity to have the user enable our admin.
                    Intent intent = new Intent(DevicePolicyManager.ACTION_ADD_DEVICE_ADMIN);
                    intent.putExtra(DevicePolicyManager.EXTRA_DEVICE_ADMIN, deviceAdminSample);
                    intent.putExtra(DevicePolicyManager.EXTRA_ADD_EXPLANATION,
                            activity.getString(R.string.add_admin_extra_app_text));
                    startActivityForResult(intent, REQUEST_CODE_ENABLE_ADMIN);
                    // return false - don't update checkbox until we're really active
                    return false;
                } else {
                    dpm.removeActiveAdmin(deviceAdminSample);
                    enableDeviceCapabilitiesArea(false);
                    adminActive = false;
                }
            }
        } else if (preference == disableCameraCheckbox) {
            dpm.setCameraDisabled(deviceAdminSample, value);
        }
        return true;
    }
    

A linha intent.putExtra(DevicePolicyManager.EXTRA_DEVICE_ADMIN, mDeviceAdminSample) declara que mDeviceAdminSample (que é um componente DeviceAdminReceiver) é a política de destino. Essa linha invoca a interface do usuário mostrada na figura 2, que orienta os usuários a adicionar o administrador do dispositivo ao sistema (ou permite que o rejeitem).

Quando o app precisa realizar uma operação que depende da ativação do app de administração de dispositivo, ele verifica se o app está ativo. Para fazer isso, ele usa o método isAdminActive() do DevicePolicyManager. Observe que o método isAdminActive() do DevicePolicyManager usa um componente DeviceAdminReceiver como argumento:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    ...
    private fun isActiveAdmin(): Boolean = dpm.isAdminActive(deviceAdminSample)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ...
    private boolean isActiveAdmin() {
        return dpm.isAdminActive(deviceAdminSample);
    }
    

Gerenciar políticas

DevicePolicyManager é uma classe pública para o gerenciamento de políticas implementadas em um dispositivo. DevicePolicyManager gerencia políticas para uma ou mais instâncias DeviceAdminReceiver.

Você consegue um identificador para o DevicePolicyManager da seguinte maneira:

Kotlin

    dpm = getSystemService(Context.DEVICE_POLICY_SERVICE) as DevicePolicyManager
    

Java

    DevicePolicyManager dpm =
        (DevicePolicyManager)getSystemService(Context.DEVICE_POLICY_SERVICE);
    

Esta seção descreve como usar DevicePolicyManager para realizar tarefas administrativas:

Definir políticas de senha

DevicePolicyManager inclui APIs para definir e implementar a política de senha do dispositivo. Na API Device Administration, a senha é válida apenas para o bloqueio de tela. Esta seção descreve tarefas comuns relacionadas a senhas.

Definir uma senha para o dispositivo

Este código exibe uma interface solicitando que o usuário defina uma senha:

Kotlin

    Intent(DevicePolicyManager.ACTION_SET_NEW_PASSWORD).also { intent ->
        startActivity(intent)
    }
    

Java

    Intent intent = new Intent(DevicePolicyManager.ACTION_SET_NEW_PASSWORD);
    startActivity(intent);
    
Definir a qualidade da senha

A qualidade da senha pode ser uma das seguintes constantes DevicePolicyManager:

PASSWORD_QUALITY_ALPHABETIC
O usuário precisa inserir uma senha que contenha pelo menos caracteres alfabéticos (ou outros símbolos).
PASSWORD_QUALITY_ALPHANUMERIC
O usuário precisa inserir uma senha que contenha pelo menos tanto caracteres numéricos quanto caracteres alfabéticos (ou outros símbolos).
PASSWORD_QUALITY_NUMERIC
O usuário precisa inserir uma senha que contenha pelo menos caracteres numéricos.
PASSWORD_QUALITY_COMPLEX
O usuário precisa inserir uma senha que contenha pelo menos uma letra, um dígito numérico e um símbolo especial.
PASSWORD_QUALITY_SOMETHING
A política exige algum tipo de senha, mas não importa qual seja.
PASSWORD_QUALITY_UNSPECIFIED
A política não tem requisitos para a senha.

Por exemplo, é assim que você definiria a política para exigir uma senha alfanumérica:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    ...
    dpm.setPasswordQuality(deviceAdminSample, DevicePolicyManager.PASSWORD_QUALITY_ALPHANUMERIC)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    ...
    dpm.setPasswordQuality(deviceAdminSample, DevicePolicyManager.PASSWORD_QUALITY_ALPHANUMERIC);
    
Definir requisitos de conteúdo da senha

A partir do Android 3.0, a classe DevicePolicyManager inclui métodos que permitem ajustar o conteúdo das senhas. Por exemplo, você pode definir uma política que declare que as senhas precisam conter pelo menos n letras maiúsculas. Veja os métodos para ajustar o conteúdo de uma senha:

Por exemplo, o snippet afirma que a senha precisa ter pelo menos duas letras maiúsculas:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val pwMinUppercase = 2
    ...
    dpm.setPasswordMinimumUpperCase(deviceAdminSample, pwMinUppercase)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    int pwMinUppercase = 2;
    ...
    dpm.setPasswordMinimumUpperCase(deviceAdminSample, pwMinUppercase);
    
Definir o tamanho mínimo da senha

É possível especificar que uma senha tenha o tamanho mínimo especificado. Por exemplo:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val pwLength: Int = ...
    ...
    dpm.setPasswordMinimumLength(deviceAdminSample, pwLength)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    int pwLength;
    ...
    dpm.setPasswordMinimumLength(deviceAdminSample, pwLength);
    
Definir o número máximo de tentativas de senha

Você pode definir o número máximo de tentativas de senha antes de o dispositivo passar por uma exclusão permanente, ou seja, ser redefinido para a configuração original. Por exemplo:

Kotlin

    val dPM:DevicePolicyManager
    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val maxFailedPw: Int = ...
    ...
    dpm.setMaximumFailedPasswordsForWipe(deviceAdminSample, maxFailedPw)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    int maxFailedPw;
     ...
    dpm.setMaximumFailedPasswordsForWipe(deviceAdminSample, maxFailedPw);
    
Definir tempo limite para expiração da senha

A partir do Android 3.0, você pode usar o método setPasswordExpirationTimeout() para definir quando uma senha deve expirar, expresso como um delta em milésimos de segundo a partir do momento em que o administrador do dispositivo define o tempo limite da expiração. Por exemplo:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val pwExpiration: Long = ...
    ...
    dpm.setPasswordExpirationTimeout(deviceAdminSample, pwExpiration)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    long pwExpiration;
    ...
    dpm.setPasswordExpirationTimeout(deviceAdminSample, pwExpiration);
    
Restringir senha com base no histórico

A partir do Android 3.0, é possível usar o método setPasswordHistoryLength() para limitar a capacidade dos usuários de reutilizar senhas antigas. Esse método usa um parâmetro length, que especifica quantas senhas antigas são armazenadas. Quando essa política está ativa, os usuários não podem inserir uma nova senha igual às últimas n. Isso evita que os usuários utilizem a mesma senha várias vezes. Em geral, essa política é usada em conjunto com setPasswordExpirationTimeout(), que força os usuários a atualizar as senhas depois de um determinado período.

Por exemplo, o snippet a seguir proíbe que os usuários reutilizem as últimas cinco senhas:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val pwHistoryLength = 5
    ...
    dpm.setPasswordHistoryLength(deviceAdminSample, pwHistoryLength)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    int pwHistoryLength = 5;
    ...
    dpm.setPasswordHistoryLength(deviceAdminSample, pwHistoryLength);
    

Definir bloqueio de dispositivo

Você pode definir o período máximo de inatividade do usuário antes de o dispositivo ser bloqueado. Por exemplo:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    private val timeMs: Long = 1000L * timeout.text.toString().toLong()
    ...
    dpm.setMaximumTimeToLock(deviceAdminSample, timeMs)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    ...
    long timeMs = 1000L*Long.parseLong(timeout.getText().toString());
    dpm.setMaximumTimeToLock(deviceAdminSample, timeMs);
    

Também é possível dizer programaticamente ao dispositivo para ser bloqueado imediatamente:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    dpm.lockNow()
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    mDPM.lockNow();
    

Realizar a exclusão permanente de dados

Você pode usar o método wipeData() do DevicePolicyManager para redefinir o dispositivo para a configuração original. Isso será útil se o dispositivo for perdido ou roubado. Muitas vezes, a decisão de excluir permanentemente os dados do dispositivo é o resultado do cumprimento de determinadas condições. Por exemplo, você pode usar setMaximumFailedPasswordsForWipe() para declarar que um dispositivo deve passar pela exclusão permanente depois de um determinado número de tentativas de senha.

Para excluir os dados permanentemente, faça o seguinte:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    dpm.wipeData(0)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    mDPM.wipeData(0);
    

O método wipeData() usa como parâmetro uma pequena máscara de opções extras. Atualmente, o valor precisa ser zero.

Desativar câmera

A partir do Android 4.0, é possível desativar a câmera. Essa desativação não precisa ser permanente. A câmera pode ser ativada ou desativada de forma dinâmica com base no contexto, no horário e assim por diante.

Você controla se a câmera será desativada por meio do método setCameraDisabled(). Por exemplo, este snippet define a câmera como ativada ou desativada com base em uma configuração de caixa de seleção:

Kotlin

    private lateinit var disableCameraCheckbox: CheckBoxPreference
    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    ...
    dpm.setCameraDisabled(deviceAdminSample, mDisableCameraCheckbox.isChecked)
    

Java

    private CheckBoxPreference disableCameraCheckbox;
    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    ...
    dpm.setCameraDisabled(deviceAdminSample, mDisableCameraCheckbox.isChecked());
    

Criptografia de armazenamento

A partir do Android 3.0, é possível usar o método setStorageEncryption() para definir uma política que exige a criptografia da área de armazenamento, quando compatível.

Por exemplo:

Kotlin

    private lateinit var dpm: DevicePolicyManager
    private lateinit var deviceAdminSample: ComponentName
    ...
    dpm.setStorageEncryption(deviceAdminSample, true)
    

Java

    DevicePolicyManager dpm;
    ComponentName deviceAdminSample;
    ...
    dpm.setStorageEncryption(deviceAdminSample, true);
    

Consulte a amostra da API Device Administration para ver um exemplo completo de como ativar a criptografia de armazenamento.

Outras amostras de código

As amostras Android AppRestrictionEnforcer e DeviceOwner (ambos em inglês) demonstram em mais detalhes o uso das APIs abordadas nesta página.