Ajudar os usuários a realizar ações com o Google Assistente

Integre seus serviços com o Google Assistente criando Ações de conversa

Por que isso funciona

Estamos entrando em uma nova era da computação, em que avanços nas áreas de aprendizado de máquina, programação neurolinguística (PNL) e inteligência artificial estão gerando entusiasmo generalizado pelas interfaces de conversa. O Actions on Google coloca você na vanguarda dessa nova onda computacional, possibilitando uma integração perfeita dos seus serviços com o Google Assistente no Google Home hoje e, em breve, em outras experiências e dispositivos nos quais ele estará disponível.

Aprenda as noções básicas

Práticas recomendadas para design

  • Escolha os casos de uso para voz adequados. Não basta converter uma interface gráfica já existente em uma experiência de voz. Procure casos de uso que sejam inerentemente mais adequados para voz (como quando as mãos ou os olhos do usuário estão ocupados).
  • Crie uma persona. No serviço, os usuários perceberão uma persona mesmo que você não a tenha planejado, de modo que vale a pena definir um perfil com a impressão que você deseja passar.
  • Redija seus diálogos. Imagine como os usuários irão solicitar seus serviços e como eles serão cumprimentados. Vá além do cenário ideal e planeje como irá explicar os possíveis imprevistos e retomar a conversa. E não se esqueça de criar boas despedidas: após a conclusão de tarefas e quando o usuário precisar sair do serviço.
  • Diga tudo em voz alta. Leia os diálogos em voz alta, corrija qualquer linguagem que soe estranha ou não natural e ajuste o texto conforme necessário. Como opção, use o Google Home Web Simulator, que também é uma boa forma de testar a conversão de texto em voz.

Práticas recomendadas para design de IUV

  • Coopere... seja gentil com seus usuários. Prepare gramáticas de reconhecimento, redija solicitações de reparo consistentes, acomode diferentes estilos de fala respeitando a diversidade de usuários e ajude as pessoas a saberem intuitivamente o que pode ser dito.
  • Desbloqueie o poder da língua falada. Veja se os diálogos comunicam o que o sistema entendeu, ofereça exemplos significativos ao informar o que pode ser dito, evite declarações óbvias e forneça instruções somente se necessário.
  • Ganhe a confiança do usuário. Forneça ao usuário avisos de validação e reconhecimento com confirmação explícita de clareza em solicitações de alto risco e confirmação implícita de agilidade em solicitações simples. Evite instruções como "Volte". Use "reconhecedores" para que as pessoas saibam que foram ouvidas, mas lance-os aleatoriamente para evitar a monotonia.
  • Siga as políticas do Actions on Google. Certifique-se de que o conteúdo de diálogo siga tais políticas. Evite conteúdos proibidos, respeite os devidos direitos autorais e propriedades intelectuais e proteja a privacidade e a segurança dos usuários, entre outros.

Práticas recomendadas para descobertas

Primeiros passos

Actions on Google